Archive by Author

Hoje vou comer…

28 Jul

Hoje estou no Meidin

E escolhi crepe La Paysanne….

Já o comi e estava delicioso!!!

Aconselho a quem quer qualquer coisa mais leve!
A seguir… Gelado na Santini…..yeh!!!!

Noites de Verão.

17 Jul

O gelado estava muito bom! 

O calor que se faz sentir no Porto convida para um passeio pelas velhas ruas da cidade e apreciar as novas propostas de consumo para Inglês ver. Claro que os grandes utilizadores são os turistas, que tem vindo a aumentar e a marcar presença durante todo o ano mas os residentes usufruem de um movimento e da circulação de capitais. É só vantagens. Hã, de salientar que não estamos limitados à marca de hà tanto tempo e já tos a Geladaria Artesanal Portuguêsa, que sendo a primeira vez que lá vou merece todo o reconhecimento. 

Oceano Atlantico

6 Jul

A Póvoa de Varzim tem uma praia com o areal melhorado devido à intervenção nela aplicada. Está muito mais agradável e, a avaliar pela ondulação, o mar agradece…

Salão de chá

4 Jul

Descobri na Maia um sítio que tem algum aspeto de tranquilidade e qualidade. Na Fundação Gramaxo existe este salão de chá, até apetece um chá frio ou um livro acompanhado de um chá no Outono. Que vos parece,  gostam de chá? Qual?

Novo visual.

3 Jul

Ora vamos lá ver o novo visual…

O 218 na Ribeira do Porto. Conhecem? É muito giro não é?

Bem vou ver a feira do livro na fundação Gramaxo na Maia. Até já.

Escrita digital…até onde.

20 Dez

Escrever ou relatar pensamentos nem sempre é fácil. Quando se pretende escrever sobre determinado assunto e este pode, de alguma maneira, porque isso desconhecêmo-lo, ofender ou deixar desconfortável alguma pessoa, somos a usar de várias técnicas que muito provavelmente alterarão o texto inicialmente pensado. Assim, como forma de libertar aquela ideia ou aquele pensamento, incorremos no “erro” de criar uma história “fictícia” e personagens imaginárias para lhes poder carregar, agora sim com mais incidência e menos comiseração. Em suma, alteramos novamente o que inicialmente queríamos, que era escrever sobre determinado tema.

Voltamos ao início e descobrimos que o nosso blogue, diário digital ou qualquer forma digital de escrever se revela limitativo na hora de escrever a realidade. Aceito que nem todos tenham esse problema porque nem todos somos iguais na percepção da terceira pessoa mas, para quem como eu o é, isso é limitativo e desagradável. Sim, não me incomoda que  as pessoas não venham a saber o que penso delas, sou egoísta e não dou importância a esse pormenor…distância, frieza ou qualquer outra descrição me pode ser aplicada mas isso não me importa, sou humano e através do erro aprendo e cresço. Amanhã certamente que pensarei nisso e verei este texto como uma coisa parva e sem fundamento. Até talvez o elimine, não sei.   

Bajándole los humos a la atrevida ignorancia

7 Jun

 

 

En época de egos inflados, de “marcas” personales con mucho de lo primero y poco de lo segundo, me ha parecido interesante recuperar una investigación que en 1999 demostraba lo cierto de una idea tremendamente popular: la de que no hay nada más atrevido que la ignorancia

El caparazón » Bajándole los humos a la atrevida ignorancia.